santafe.gob.ar/noticias

Lifschitz, Peña e Dietrich anunciaram investimentos por mais de $ 32 mil milhões para o desenvolvimento dos portos da província de Santa Fe

São aportes públicos e privados que serão desembolsados em um prazo de quatro anos. A província aportará mil milhões de pesos para acessos e caminhos.

Infraestructura y Obras Lifschitz, Peña e Dietrich anunciaram investimentos por mais de $ 32 mil milhões para o desenvolvimento dos portos da província de Santa Fe.

Viernes 21 de octubre de 2016 O governador de Santa Fe, Miguel Lifschitz; o chefe do Gabinete de Ministros, Marcos Peña; e o ministro de Transporte da Nação, Guillermo Dietrich, percorreram na sexta-feira dois terminais portuários do parque industrial santafesino, onde anunciaram um investimento histórico de 32 mil milhões de pesos durante quatro anos para potenciar o desenvolvimento de portos da província: $ 21 mil milhões do setor privado, outros $ 10 mil milhões da Nação e mil milhões do governo santafesino.

Após percorrer as instalações do Terminal 6 e Cofco, em Timbúes, as autoridades anunciaram investimentos para os próximos quatro anos que, segundo palavras do próprio Dietrich, servirão para “liberar o potencial do campo na Argentina, que gera uma sucessão de valor que impactará em outros setores” da economia. O mandatário santafesino adiantou que a província acompanhará com obras viárias, caminhos e acessos “por um total de mil milhões de pesos, no denominado ´pente´ que vai da Rodovia Nacional 11 ao acesso aos diferentes portos, pelos quais sai 80 % da produção de grãos do país”.

“O tema do investimento privado e obra pública tanto da Nação quanto da província para esta região do país é algo que vem se falando há tempo e que vem se reclamando e até hoje nunca conseguimos concordar nos critérios técnicos, assim que pela primeira vez temos um projeto de consenso e a ideia é trabalhar rapidamente para poder concretizá-lo”, indicou Lifschitz ao finalizar o percurso no terminal Cofco Agri, de capitais estatais chineses.

O governador santafesino também falou sobre “a breve mas intensa” visita realizada aos portos da região, “que nos permite visualizar o esforço e a produção acumulada durante mais de 30 anos para que hoje possamos dizer que na região de Rosario se exporta quase 80 % da produção de grãos argentina”, e acrescentou: “Mas também cabe destacar que em realidade é tão importante a atividade de exportação como a atividade industrial que em cada um destes terminais é desenvolvida para agregar valor e produzir produtos que têm uma alta demanda em nível internacional e que levam consigo a capacidade argentina de trabalho, engenharia e desenvolvimento”.

“A potencialidade é enorme para continuar crescendo e atrás dessa cadeia temos pequenos e médios produtores, armazenadores, cooperativas, empresas que se dedicam à logística, ao transporte, uma rede de produção e trabalho que gera muitos postos de trabalho, movimento da economia e tributos para os governos locais, a província e a Nação”, acrescentou .

“Do governo provincial -continuou- temos um forte compromisso na mesma sintonia que o promovido pelo governo nacional, convencidos de que os estados, nacional e provincial, temos que apostar fortemente no investimento público em infraestrutura, viária em nosso caso, para contribuir a desenvolver um sistema de acesso aos portos que seja mais eficiente e que poupe tempo e custo, e que permita dar-lhe mais produtividade a todo o trabalho que aqui é realizado”.

E finalizou dizendo que esse tipo de obra pública também “acompanha o esforço dos produtores, os empresários e os operadores destes portos a fim de baixar custos, ser mais competitivos, mais produtivos e nos permite ampliar tanto nosso horizonte de exportação como nossas expectativas de gerar trabalho para os santafesinos”.

Marcos Peña expressou por sua parte que “é um orgulho nacional esse complexo agroexportador que começa com o trabalho de um chacareiro que trabalha para ser mais competitivo, à indústria onde a natureza nos deu esse lugar incrível. Não somos conscientes do que implica ter isso, esse tipo de estrutura que é tão competitiva, muitos países gostariam de ter esse complexo de empresas e produção, e o temos; e graças a tudo isso podemos gerar mais trabalho e investimentos”.

No entanto, Dietrich destacou que os investimentos públicos tanto de província como da Nação, que investirá 5 mil milhões de pesos em obras viárias e outra cifra similar em obras ferroviárias na região, “geram melhor qualidade de vida, desenvolvimento da economia e postos de trabalho, mas por sua vez trazem investimentos privados como o que viemos anunciar hoje”.