santafe.gob.ar/noticias

Santa Fe e San Juan ratificaram o compromisso de desenvolver, de forma conjunta, o Corredor Bioceânico entre o Chile e o Brasil

“Tem por objeto a concretização de uma obra Estratégica para ambas as províncias e uma grande oportunidade para o desenvolvimento de toda a região central da Argentina”, sublinhou o governador Miguel Lifschitz, foi logo de assinar um segundo convênio com

Ejes de Gestión Santa Fe e San Juan ratificaram o compromisso de desenvolver, de forma conjunta, o Corredor Bioceânico entre o Chile e o Brasil.

Miércoles 9 de noviembre de 2016 O governador de Santa Fe, Miguel Lifschitz e seu homólogo de San Juan, Sergio Uñac assinaram, nesta quarta-feira o segundo convênio marco de colaboração para ratificar e promover a materialização do Projeto denominado “Corredor Bioceânico Porto Alegre (Brasil)- Coquimbo (Chile)”, que prevê a realização do túnel sanjuanino de Agua Negra.

“ A nova conexão viária através do túnel de Agua Negra, entre San Juan e Chile trata-se de uma obra estratégica, tanto para a província de San Juan, quanto para a de Santa Fe e toda a Argentina, no sentido que permite materializar um antigo sonho de nossas províncias como é o corredor bioceânico que une Coquimbo, no Chile, com Porto Alegre, no Brasil, e que transpõe San Juan, La Rioja, Córdoba, Santa Fe, Entre Rios e Corrientes na Mesopotâmia , para nos conectar com o Brasil”, explicou Lifschitz.

“Ter a possibilidade de promover o intercâmbio de mercadorias e de cargas entre estes dois grandes portos oceânicos do Atlântico e do o Pacífico é uma grande oportunidade para o desenvolvimento de toda a região central da Argentina”, disse o governador.

Lifschitz celebrou o fato que San Juan, “ conseguiu que os presidentes da Argentina , Maurício Macri, e o do Chile, Michelle Bachelet, se comprometeram a dar início à obra que tem o financiamento, na qual os prazos estão em curso e é provável que no próximo ano comecem o trabalhos”.

O governador de Santa Fe considerou,”muito importante” a assinatura do convênio porque, “ratifica a vontade das províncias de Santa Fe e de San Juan de trabalhar em conjunto para materializar e desenvolver este corredor oceânico e todas as ações necessárias para reforçar, mesmo na certeza que as obras vão demorar muito tempo. Todos temos de empurrar em função de um projeto como este, para o futuro como é o do Plano do Corredor Bioceânico, Lifschitz destacou, a “boa relação” com o seu homólogo sanjuanino e o interesse em acometer temas que têm a ver com a gerência dos estados, com a administração dos recursos, com a obra pública, com a moradia” e manifestou o desejo de visitar o teatro local, recentemente inaugurado e que, “ se constitui hoje em um dos projetos culturais mais importantes que tem a Argentina”.

A assinatura foi formalizada no marco de um ato realizado na Casa do Governo de San Juan.

DE UÑAC
O governador de San Juan valorou a seu equivalente santafesino como, “um grande governador, que tem a enorme responsabilidade de dirigir uma das províncias mais próspera e pujantes que tem a Argentina”.

“Neste primeiro semestre de 2016, concluímos com os trabalhos de desenho dos projetos técnicos” do corredor e que os presidentes, ”colocaram em agenda a construção de um túnel (de Agua Negra) que obviamente, vai mudar a vida dos argentinos”, falou Uñac.

Hoje – junto Lifschtz - estamos trabalhando e antecipando as bondades que pode ter o túnel, na recuperação viária exitosa que está fazendo Santa Fe, das estradas provinciais e nacionais que confluem neste corredor bioceânico e que vai fortalecer o trânsito de mercadorias e alcançar o mercado asiático”.

A RESPEITO DO PROJETO
O Corredor comporta um projeto de infraestrutura viária de 2472 quilômetros de extensão, que comunicará os oceanos Atlântico e Pacífico, encontrando-se, seus extremos nas cidades de Porto Alegre (Brasil) e Coquimbo (Chile), atravessando a região central da República Argentina pelas províncias de Corrientes, Entre Rios, Santa Fe, Córdoba, La Rioja e San Juan, a Cordilheira “de los Andes”, por túneis situados na latitude do atual “Paso internacional de Agua Negra”.

Esta obra vai permitir diminuir o trajeto entre os mercados de ambos os oceanos, melhorando o posicionamento da região, potenciando sua complementaridade comercial e facilitando o intercâmbio, tanto dentro do Mercosur quanto com o resto do mundo.

A RESPEITO DO CONVÊNIO
Tem por objeto ratificar os termos acordados no instrumento subscrito no dia 22 de maio de 2014 e a ampliação e otimização dos processos de cooperação como apoio ao desenvolvimento do projeto do citado Corredor, ratificando por sua vez o firme interesse na concretização imediata do mesmo.

Nesse marco, ambas as províncias se comprometeram a aprofundar o intercâmbio de experiências nas áreas ligadas ao desenvolvimento do projeto “Corredor Bioceânico Porto Alegre-Coquimbo”, definindo por sua vez novas áreas de interesse mútuo , que serão anexadas às já demarcadas no anterior projeto.